Tuesday, June 19, 2007

Precisamos

“Todos precisamos”. É-nos tão essencial. Também eu preciso. Preciso de um lugar, surreal e encantador, de um minuto, lento e silencioso. Inevitavelmente, e ironicamente também, a solidão aos poucos vai fazendo bem. Telemóveis desligados, ruídos abafados, não quero histerias, não quero desabafos, não quero pedidos de socorro. Quero o meu tempo. Quero a minha paz de espírito.
Não preciso de nenhum lugar paradisíaco, não preciso de sol, se a chuva miudinha bater na janela sem me incomodar, nenhum mal me fará. Não preciso de férias, nem de dinheiro. Quero o meu conforto, quero sentir-me bem sem ter de ver que os outros também se sentem. Deixem-me ser, hoje e só hoje, um pouco egocêntrica, deixem-me olhar, agora e de relance, para o meu umbigo, deixem-me, sem dar muito nas vistas, imaginar que afinal até sou o centro do mundo. Deixem-me escrever Eu com maiúscula e mostrar aos outros o que valho. Deixem-me sossegada, aqui no meu canto.
Podes dar-me a minha paz de espírito? Dá-ma embrulhada naquele papel tão suave. Aproveitá-la-ei quando sozinha me encontrar, gozá-la-ei naquela sala branca, de cortinados caídos sobre o chão, naquela sala vazia, com pensamentos escritos na parede à espera que alguém os verbalize. Naquela sala tão nossa, característica, com a qual todos sonham e ninguém a encontra. Dá-me a minha paz de espírito e prometo que para sempre te respeitarei. Tenta, preciso dela. É fácil, afinal não se compra, não se ganha. Merece-se e tem-se.

1 comment:

rafa fernandez said...

oh jo "todos precisamos" !! va ate k escreves bem